Exercícios Espirituais Cristo em vós

Cristo em vós são Exercícios Espirituais no dia-a-dia. É uma proposta para viver a espiritualidade paulina seguindo o método Verdade, Caminho e Vida, a partir da Palavra de Deus e de Exercícios de Leitura Orante da Palavra. São Exercícios propostos pelo bem-aventurado Tiago Alberione e fazem parte do carisma paulino.

terça-feira

Exercícios Espirituais na Vida Quotidiana CRISTO EM VÓS

Aqui você encontra os Exercícios Espirituais na Vida Quotidiana segundo o método Paulino na  sua sequência de etapas e semanas.


Graça e Paz!


Damos graças a Deus pelo caminho que nos oferece com os Exercícios Espirituais na Vida Cotidiana - Cristo em vós.


Muitas  pessoas têm necessidade de um caminho espiritual, sério, contínuo e de crescimento. Também para orientar grupos e outras pessoas.
Propomos os Exercícios Espirituais no dia-a-dia , segundo o método Cristo em vós (CEV).


Se você quiser participar, e necessitar de algum esclarecimento, comunique-se pelo e-mail: Cristo em vós: cevvcv@hotmail.com

Este e-mail é específico para os exercitantes. Ou, apenas, preencha no box ao lado, seu nome, seu desejo de participar e seu e-mail.


Gostaríamos que você convidasse mais  pessoas que estejam interessadas em viver e comunicar Cristo Verdade, Caminho e Vida.


Rezemos  pedindo ao Espírito que nos ilumine.

Abraço fraterno



Ir. Patrícia Silva, fsp
irpatricias@gmail.com


INTRODUÇÃO


Cada um(a) de nós é chamado(a) a corresponder,
como discípulo(a)
de Cristo Mestre Pastor Verdade e Caminho e Vida, à ação santificadora do
Espírito Santo, que é dialogal, ou seja,
de uma parte, é graça que busca;
e, de outra, resposta, cooperação.
Esta cooperação deve ser totalizante e integradora
por meio de exercícios 
feitos com fidelidade criativa, até a conformação a Cristo, isto é, 
até que se forme Cristo em nós. 
 Este Roteiro supõe um caminho dentro de um processo
As pessoas podem viver para Deus, com Deus ou em Deus.
Aquelas que vivem para Deus,
vivem na missão que realizam.
A sua vida está naquilo que fazem.
Aquelas que vivem com Deus, vivem também por Ele, 
e refletem Deus na sua simplicidade, no seu testemunho,
não no que fazem.
As que vivem em Deus, também não vivem no que fazem, 
porque é Ele que realiza nelas cada coisa.
Para elas não é difícil se comunicar ao mesmo tempo com os outros e com Ele, 
pois se encontram nEle.

Viver em Deus e comunicá-lo é a proposta do Roteiro




1ª ETAPA

VIA PURIFICATIVA

GLÓRIA AO PAI

- Fazer morrer o homem velho
-  Deus em Si.
– Conhecimento admirado
-  Louvor perene, total   
-  Amor perfeito Deus meu Criador. Deus Pai Providente.
Deus me guia com a sua Lei.
Vontade de Deus: “máximo ato de amor”
Deus meu altíssimo fim.
Conversão total – retorno ao Pai.
Determinação especial a cumprir bem a vontade de Deus.

1ª SEMANA
  • A  ação criadora de Deus organiza o mundo. O “sopro” de Deus  é o Espírito que dá vida.

    PedidoPeço o dom  de um coração agradecido pela criação do mundo e por ser uma pessoa criada por Deus.
    Segunda-feira      Gn 1                    A Criação
    Terça-feira          Ex 3,1-12            Vocação de Moisés 
    Quarta-feira         Eclo 42,15-25     Louvar a Deus 
    Quinta-feira         1Cr 29,10-13      A Sabedoria criadora
    Sexta-feira           Gn 18,1-15         Deus Pai Providente
    Sábado                 Sl 95 (94)           Adoração ao Criador

    PROPOSTA DE ROTEIRO DE ORAÇÃO
1º Em momento especial, faço a Visita a Jesus Mestre Eucarístico.Na minha “tenda de encontro” (Ex 33,7) acolho a Santíssima Trindade.

Em nome do Pai, do Filho e  do Espírito Santo.
Trindade  Santíssima - Pai, Filho, Espírito Santo –
presente e atuante na Igreja e na profundidade do meu ser,
eu vos adoro, amo e agradeço.

O bem-aventurado Alberione nos sugere uma postura:
“sentemo-nos a seus pés e digamos: Vós sois o Caminho, quero seguir vossos passos e imitar vossos exemplos. Vós sois a Verdade: iluminai-me! Vós sois a Vida: dai-me a vossa graça!
(ER I 132). Recordo o pedido da semana.

2º No Corpo de Cristo (1Cor 12,27ss), do qual sou membro, acolho a todos os outros membros formando com eles uma  “comunidade orante”. “ Não há realidade alguma verdadeiramente humana que não encontre eco no seu coração” . (Gaudium et spes, 1).
( Momento de silêncio). E rezo:
Creio, meu Deus, que estou diante de Ti.
Que me vês e escuta as minhas orações.
Tu és tão grande e tão santo: eu te adoro.
Tu me deste tudo: eu te agradeço.
Tu foste tanto ofendido por mim:
eu te peço perdão de todo o coração.
Tu és tão misericordioso: eu te peço todas as graças
que sabes serem necessárias para mim.

LEITURA ORANTE

1. LEITURA (Verdade)
- O que diz o texto ?
Pedir luzes ao Espírito Santo.
Vinde Santo Espírito, enchei os corações dos vossos fiéis
E acendei neles o fogo do vosso amor.
- Enviai, Senhor, o vosso Espírito e tudo será criado
- E renovareis a face da terra.
Oremos: 
Ó Deus, que instruistes os corações dos fiéis com as luzes do Espírito Santo, 
fazei que apreciemos retamente todas as coisas 
segundo o mesmo Espírito e que gozemos sempre da sua consolação. 
Por Cristo Nosso Senhor. Amém.
Leio o texto indicado para o dia, devagar, e atentamente. Releio. Demoro em alguma expressão mais forte. Procuro compreendê-la.
Canto: A Palavra está perto de ti.,Em tua boca, em teu coração.(Rm 10,8).

2.  MEDITAÇÃO (Caminho)
-  O que o texto diz para mim?
Recordo outros textos bíblicos relacionados. Atualizo, trazendo o texto para hoje. Depois, rezo com o bem-aventurado Alberione:
Mestre: a tua vida me  traça o caminho;
a tua doutrina confirma e ilumina os meus  passos;
a tua graça me sustenta e me  conduz no caminho do céu.
Tu és perfeito Mestre:
dás  o exemplo, me  ensina e me animas  a seguir-te.

3. ORAÇÃO (Vida)
- O que o texto me faz dizer a Deus?
Faço em silêncio oração de ação de graças, pedidos e adoração.
E rezo :
Senhor Jesus, Tu és o Caminho!
Em meio a sombras e luzes,
alegrias e esperanças, tristezas e angústias,
Tu nos levas ao Pai.
Não nos deixes caminhar sozinhos.
Fica conosco, Senhor!
Tu és a Verdade!
Desperta nossas mentes
e faze arder nossos corações com a tua Palavra.
Que ela ilumine e aqueça os corações sedentos de justiça e santidade.
Ajuda-nos a sentir a beleza de crer em Ti!
Fica conosco, Senhor!
Tu és a Vida!
Abre nossos olhos para te reconhecermos
no “partir o Pão”, sublime Sacramento da  Eucaristia!
Alimenta-nos com o Pão da Unidade.
Sustenta-nos em nossa fragilidade.
Consola-nos em nossos sofrimentos,
Faze-nos solidários com os pobres, os oprimidos e excluídos.
Fica conosco, Senhor!
Jesus Cristo: Caminho, Verdade e Vida,
No vigor do Espírito Santo,
Faze-nos teus discípulos missionários!
Com a humilde serva do Senhor, nossa Mãe Aparecida, queremos ser:
Alegres  no Caminho  para a Terra Prometida!
corajosas testemunhas da Verdade libertadora!
promotores da Vida em plenitude!
Fica conosco, Senhor! Amém!
Canto: Eu sei, eu sei, eu sei em quem acreditei /
Eu sei, eu sei em quem acreditei.
 (2Tm 1,12)

4. CONTEMPLAÇÃO/ MISSÃO (Vida)
- Qual o novo olhar que a leitura, a meditação e a oração despertaram em mim?
Assumo um compromisso. E anoto, a cada dia,  numa pequena agenda, a síntese da oração:
VERDADE (Palavra mais forte)..........................................................................................
CAMINHO(apelos, exame)................................................................................................
VIDA (compromisso).........................................................................................................
Finalizando, rezo:
Mestre,
Tu iluminas todo homem e és a própria verdade:
Eu não quero raciocinar senão como Tu ensinas,
nem julgar senão conforme os teus julgamentos,
verdade substancial, dada a mim pelo Pai:
“Vive na minha mente, ó Jesus Verdade”.

Canto: Se alguém está em Cristo é nova criatura, é nova criatura se alguém está em Cristo. (2 Cor 5,17)
Jesus Mestre, Verdade, Caminho e Vida, tende piedade de nós.

Sugestão:
Partilhe  sua experiência.
Como fazer? Faça uma síntese em cada final de semana, partilhe com  seu grupo os benefícios e as dificuldades.Também com a equipe que orienta este Retiro pelo email:
cevvcv@hotmail.com ou no próprio Box do blog

Deus Criador

- Conhecimento admirado; Louvor perene, total
- Amor perfeito; Deus meu Criador
- Aliança com Deus.
A Aliança solidificou o vínculo entre o Povo e Deus.
A “densa nuvem” é sinal da vinda de Deus.
Deus se apresenta como o “Senhor” que nos chama, 
nos segura pela mão, nos guarda e destina para ser aliança do povo.
O Salmo 33 convida à ação de graças: “Rendei graças ao Senhor!”

                   Pedido: Peço o dom de acolher as escolhas de Deus e a sua aliança de amor.
Para meditar
Segunda-feira -  Gn 2,7;18-24 - Deus cria o homem e a mulher (Leitura Orante - LO)
Terça-feira -      Sl 139 (138) - Consciência da presença de Deus (LO)
Quarta-feira -    Is 42, 1-12 - Louvor ao Senhor (LO)
Quinta-feira -    Ex 19 - Aliança com o povo (LO)
Sexta-feira -      Dt 7, 6-9 - O Senhor escolheu o seu povo. Por quê? (LO)
Sábado -            Dn 3, 8-23. 52-90 - Louvor dos três jovens (LO)

Para orar

                                                Salmo 33
Bendirei continuamente ao Senhor, seu louvor não deixará meus lábios.
Glorie-se a minha alma no Senhor; ouçam-me os humildes, 
e se alegrem.
Glorificai comigo ao Senhor, juntos exaltemos o seu nome.
Procurei o Senhor e ele me atendeu, livrou-me de todos os temores.
Olhai para ele a fim de vos alegrardes, 
e não se cobrir de vergonha o vosso rosto.
Vede, este miserável clamou e o Senhor o ouviu, 
de todas as angústias o livrou.
O anjo do Senhor acampa em redor dos que o temem, e os salva.
Provai e vede como o Senhor é bom, feliz o homem que se refugia junto dele.
Reverenciai o Senhor, vós, seus fiéis, porque nada falta àqueles que o temem.
Os poderosos empobrecem e passam fome, 
 mas aos que buscam o Senhor nada lhes falta.
Vinde, meus filhos, ouvi-me: eu vos ensinarei o temor do Senhor.
Qual é o homem que ama a vida, 
e deseja longos dias para gozar de felicidade?
Guarda tua língua do mal, e teus lábios das palavras enganosas.


 Deus Pai Providente
- Deus me guia com a sua Lei
- Vontade de Deus: “máximo ato de amor”.
O Antigo Testamento oferece representações de Deus: 
é criador, 
pai, 
pastor, 
defensor, 
misericórdia; 
desperta, acode, desce, senta-se; 
tem rosto, olhos, ouvidos, boca, mãos; 
sente amor, indignação.

PedidoPeço a graça de viver sempre na presença  de Deus e lhe ser  fiel.


Método da Leitura Orante

Segunda-feira     Sl 19 (18) A lei do Senhor é perfeita 
Terça-feira          Ex  34, 1-10  Deus da Aliança   
Quarta-feira        Sb 9,1-18  Oração da  Sabedoria
Quinta-feira        Ex 3,1-15  Revelação do nome de Deus
Sexta-feira          Ne 9,5-23 Deus nos guia
Sábado                Dt 4,1-31 Deus é próximo a nós

Oração da Sabedoria
 «Deus dos pais e Senhor de misericórdia, 
tudo criaste com a tua palavra! 
Com a tua sabedoria formaste o homem 
para dominar as criaturas que fizeste,  
para governar o mundo com santidade e justiça, e 
exercer o julgamento com retidão de alma.  
Concede-me a sabedoria, que está entronizada ao teu lado, e
não me excluas do número de teus filhos.

Eu sou teu servo, filho de tua serva, homem fraco e de vida breve, 
incapaz de compreender a justiça e as leis. 
Mesmo que alguém fosse o mais perfeito dos homens, 
se lhe faltasse a sabedoria que provém de ti, ele de nada valeria. 
Tu me escolheste como rei do teu povo e juiz dos teus filhos e filhas. 
Tu me mandaste construir um templo sobre o teu santo monte, 
um altar na cidade onde fixaste a tua tenda, 
cópia da tenda santa que tinhas preparado desde o princípio. 
Contigo está a sabedoria, que conhece as tuas obras e 
que estava presente quando criaste o mundo. 
Ela sabe o que é agradável aos teus olhos e 
o que é conforme aos teus mandamentos.

Manda a sabedoria desde o céu santo e 
a envia desde o teu trono glorioso,
para que ela me acompanhe e participe dos meus trabalhos, 
e me ensine o que é agradável a ti. 
Porque ela tudo sabe e tudo compreende. 
Ela me guiará prudentemente em minhas ações e 
me protegerá com a glória dela. 
Assim, as minhas obras serão agradáveis a ti, 
eu poderei governar com justiça o teu povo, 
e serei digno do trono de meu pai.

Quem pode conhecer a vontade de Deus?
Quem pode imaginar o que o Senhor deseja?  
Os pensamentos dos mortais são tímidos e 
nossos raciocínios são falíveis, 
 porque um corpo corruptível torna pesada a alma, 
e a tenda de terra oprime a mente pensativa. 
Com muito custo, podemos conhecer o 
que está na terra e com dificuldade encontramos o 
que está ao alcance da mão. 
Mas quem poderá investigar o que está no céu? 

Quem poderá conhecer o teu projeto, 
se tu não lhe deres sabedoria, enviando do alto o teu Espírito Santo?  
Somente assim foram endireitados todos os caminhos de quem vive sobre a terra. 
Somente assim os homens aprenderam aquilo que te agrada. 
Eles foram salvos por meio da sabedoria».


   O pecado e a conversão.
 Retorno ao Pai.
Determinação especial a cumprir bem a vontade de Deus.
Reordenar a vida.
Somos argila nas mãos de Deus.
São Paulo diz:
“Ele é quem nos fez.
Nós somos criados em Jesus Cristo para as boas obras”
(Ef 1,10)
O que é pecado?  A grande pergunta.
O pecado é uma falta contra a razão, a verdade, a reta consciência. Segundo o Catecismo da Igreja Católica (CIC), é uma falha contra o verdadeiro amor para com Deus e para com o próximo, por causa dum apego perverso a certos bens. Fere a natureza do homem e atenta contra a solidariedade humana. Foi definido como uma palavra, um ato ou um desejo contrários à Deus.
O pecado é uma ofensa a Deus: «Pequei contra Vós, só contra Vós, e fiz o mal diante dos vossos olhos» (Sl 51, 6). O pecado é contrário ao amor que Deus nos tem e afasta d'Ele os nossos corações. É, como o primeiro pecado, uma desobediência, uma revolta contra Deus, pela vontade de os homens se tornarem «como deuses», conhecendo e determinando o que é bem e o que é mal (Gn 3, 5). Assim, o pecado é «o amor de si próprio levado até ao desprezo de Deus». Por esta exaltação orgulhosa de si mesmo, o pecado é diametralmente oposto à obediência de Jesus, que realizou a salvação.
Deus quer que reconheçamos os nossos pecados. Mesmo os que nunca assassinaram ou cometeram adultério serão condenados por mentir, ou por cultuar falsos ídolos, como os ídolos da riqueza ou de poder, ao invés de adorar a Deus apenas.
(Cf. CIC 1849-1850).

Reflexão sobre os caminhos de Deus
O catecismo da Igreja Católica (CIC) nos orienta nos caminhos de Deus.
O decálogo, o sermão da montanha e a catequese  descrevem-nos os caminhos que conduzem ao Reino dos céus. Por eles avançamos, passo a passo, pelos atos de cada dia, amparados pela graça do Espírito Santo. Fecundados pela Palavra de Cristo, pouco a pouco, damos frutos na Igreja para a glória de Deus.
Deus criou o homem racional, conferindo-lhe a dignidade de pessoa dotada de iniciativa e do domínio dos seus próprios atos.

A pessoa é um ser livre
O homem é racional e, por isso, semelhante a Deus, criado livre e senhor dos seus atos.
A liberdade é o poder, radicado na razão e na vontade, de agir ou não agir, de fazer isto ou aquilo, praticando assim, por si mesmo, ações deliberadas. Pelo livre arbítrio, cada qual dispõe de si. A liberdade é, no homem, uma força de crescimento e de maturação na verdade e na bondade. E atinge a sua perfeição quando está ordenada para Deus.

Enquanto se não fixa definitivamente no seu bem último, que é Deus, a liberdade implica a possibilidade de escolher entre o bem e o mal, e portanto, de crescer na perfeição ou de falhar e pecar. É ela que caracteriza os atos propriamente humanos. Torna-se fonte de louvor ou de censura, de mérito ou de demérito.
Quanto mais o homem fizer o bem, mais livre se torna. Não há verdadeira liberdade senão no serviço do bem e da justiça.

O que leva a pecar
A opção pela desobediência e pelo mal é um abuso da liberdade e conduz à escravidão do pecado.
Uma intenção boa (por exemplo: ajudar o próximo) não torna bom nem justo um comportamento em si mesmo desordenado (como a mentira e a maledicência). O fim não justifica os meios. Assim, não se pode justificar a condenação dum inocente como meio legítimo para salvar o povo. Pelo contrário, uma intenção má acrescentada (por exemplo, a vanglória) torna mau um ato que, em si, pode ser bom (como a esmola)

Presente no coração da pessoa, a consciência moral leva-a, no momento oportuno, a fazer o bem e a evitar o mal. E também julga as opções concretas, aprovando as boas e denunciando as más. Ela atesta a autoridade da verdade em relação ao Bem supremo, pelo qual a pessoa humana se sente atraída e cujos mandamentos acolhe. Quando presta atenção à consciência moral, o homem prudente pode ouvir Deus a lhe falar. (Cf. CIC 1724-1777).



Pedido: Peço a graça de uma contínua conversão ao amor de Deus.

Segunda-feira           Gn 3,1-24            O pecado de Adão e Eva 
Terça-feira               Jer 7,3-11             O pecado - ruptura com Deus 
Quarta-feira             Bar 1,15-22          O pecado: ser surdo a Deus
Quinta-feira             Ez 36,25-28           Dá-me um coração novo
Sexta-feira              Sl 51 (50)               Pequei, Senhor, misericórdia
Sábado                   Is 64, 5-8               Somos argila

Virtudes
Podemos nos examinar, à luz da Palavra de Deus e das virtudes.
A virtude é uma disposição habitual e firme para praticar o bem.

As virtudes humanas são disposições estáveis da inteligência e da vontade, que regulam os nossos atos, ordenam as nossas paixões e guiam o nosso procedimento segundo a razão e a fé. Podem ser agrupadas à roda das quatro
 Virtudes cardeais
 prudência, justiça, fortaleza e temperança.

prudência dispõe a razão prática para discernir, em todas as circunstâncias, o verdadeiro bem e para escolher os justos meios de o realizar.

 A justiça consiste na constante e firme vontade de dar a Deus e ao próximo o que lhes é devido.

 A fortaleza assegura, no meio das dificuldades, a firmeza e a constância na prossecução do bem.

 A temperança modera a atracção dos prazeres sensíveis e proporciona equilíbrio no uso dos bens criados.

 As virtudes morais desenvolvem-se pela educação, por atos deliberados e pela perseverança no esforço. A graça divina purifica-as e eleva-as.

 As virtudes teologais dispõem os cristãos para viverem em relação com a Santíssima Trindade. Têm, Deus por origem, motivo e objecto – Deus conhecido pela fé, esperado e amado por si mesmo.

Virtudes teologais

São três as virtudes teologais: fé, esperança e caridade. Informam e vivificam todas as virtudes morais.

Pela fé, cremos em Deus e em tudo quanto Ele nos revelou e a santa Igreja nos propõe para acreditarmos.

Pela esperança, desejamos e esperamos de Deus, com firme confiança, a vida eterna e as graças para a merecer.

Pela caridade, amamos a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos, por amor de Deus. A caridade é o «vínculo da perfeição» (Cl 3, 14) e a forma de todas as virtudes.

 Os sete dons do Espírito
Os sete dons do Espírito Santo, concedidos aos cristãos, são: sabedoria, entendimento, conselho, fortaleza, ciência, piedade e temor de Deus.  (Cf. CIC 1834-1845).


Via Iluminativa
GLÓRIA AO FILHO
Permitir que Jesus Cristo viva em nós

Já vivenciamos as quatro semanas da 1ª etapa: Via Purificativa.
Agora, passamos para a 2ª Etapa; Via Iluminativa, que vai da 5ª à 20ª semanas.
Os Exercícios são feitos com o Método Paulino Verdade Caminho e Vida, com a Leitura Orante e a Contemplação. Exercitaremos também o Discernimento.
Na coluna, do lado direito, você pode ver a técnica de cada um destes métodos
Tudo isso requer muitos exercícios e muita oração.


Uma pessoa nova!

Iniciamos com o caminho da Encarnação de Jesus.
O Espírito fará crescer Jesus em mim, em nós.
O objetivo é chegar ao “Todo Jesus em toda a pessoa”
Jesus - Verdade – santificação da mente.
Jesus - Caminho – santificação da vontade
Jesus - Vida – santificação do coração.
Pretendemos ser um “pessoa nova em Cristo”

Este período deve nos levar à “conformação” a Jesus Cristo: Verdade e Caminho e Vida;
de modo que possa emergir a “pessoa nova”.


5ª SEMANA: O caminho da Encarnação
PedidoPeço o dom do “estado de graça”. Alberione diz: 
“Graça significa amizade, intimidade com Deus” (DF 46). Como viveu Maria.
Segunda-feira - Mt 1,18-26 - Anúncio do nascimento de Jesus, Deus conosco
Anotar:
Verdade –

Caminho –

Vida -
Terça-feira - Jo 1,1-18 - Contemplação da Encarnação
Anotar:

Quarta-feira - Lc 1,26-38 - Contemplação do Anúncio (C )
Anotar:

Quinta-feira - Repetir um dos textos anteriores
Anotar:

Sexta-feira - Lc 1,39-56 - Contemplação da Visitação (C )
Anotar:

Sábado - Lc 1,47-55 - O Cântico de Maria
Anotar:



Nesta Semana somos convidados a fazer a Contemplação. Veja ao lado orientações.

Segunda-feira - Lc 2,1-7 - Nascimento de Jesus (C )
Terça-feira - Lc 2,1-7 - Repetição (C )
Quarta-feira - Lc 2,8-20 - Visita dos pastores ( C)
Quinta-feira - Lc 2,8-20 - Repetição
Sexta-feira - Lc 2,21-24 - Circuncisão de Jesus (C )
Sábado - Sem texto bíblico - Infância de Jesus (C )

Rezo com Alberione:
“E tu,  Jesus Menino,
Caminho, Verdade e Vida,
concede-nos a graça de 
amar-te e trabalhar para ti,
e a tua misericórdia fecunde todo meio de bem
e a comunicação ”.
(ALBERIONE, Tiago. L’Immacolata e il Natale,
 in Unione Cooperatori Buona Stampa, ano VI, n. 12, 15 de dez. de 1923, pp. 2-3)

Para rezar ou cantar cada dia:
Toda língua proclame Jesus Cristo é Senhor Para a glória de Deus Pai  (Fl 2,11)  

CD Palavras Sagradas de Paulo Apóstolo, Faixa 16, COMEP.

Para ajudar na reflexão 
HOMILIA DO PAPA EMÉRITO BENTO XVI
(26 de de dezembro de 2012)

O esplendor de Deus pode nos assustar, mas a realidade de um Deus que se torna bebê e "se confia às nossas mãos" para que "ousemos amá-lo" continua a nos comover. Com estas palavras, o papa Bento XVI abriu a homilia da missa da véspera de natal na basílica vaticana.

Assim como Maria e José procuraram abrigo para dar à luz o filho e não encontraram, também pode ser que o nosso coração se veja muitas vezes despreparado para receber a Deus. "Temos tempo e espaço para ele? Não será que rejeitamos nós também o próprio Deus?", perguntou o Santo Padre.

A resposta é paradoxal: "Quanto mais rápido nos movemos, quanto mais eficazes são as ferramentas que nos ajudam a economizar tempo, menos tempo temos à nossa disposição" para dedicar a Deus. E mesmo quando Ele "parece bater à porta do nosso pensamento", tendemos a afastá-lo.

Estamos "cheios de nós mesmos", disse o papa, a ponto de não deixar espaço para Nosso Senhor. "Queremos nós mesmos, queremos as coisas que podemos tocar, a felicidade experimentável, o sucesso dos nossos projetos pessoais e das nossas intenções".

Da mesma forma, não há espaço em nossas vidas "para o outro, para as crianças, para os pobres, para os estranhos". A nossa oração deve nos deixar "alertas para captar a sua presença", para que "em nossos corações surja um espaço para ele" e "possamos reconhecê-lo naqueles por trás de quem ele se apresenta para nós: nas crianças, nos que sofrem, nos abandonados, nos marginalizados e nos pobres deste mundo".

Bento XVI destacou ainda outro aspecto importante das leituras de natal: o hino de louvor cantado pelos anjos, que entoam "Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens por ele amados".

A alegria dos anjos no céu indica que Deus é "luz pura", é "o bem por excelência", e, por esta alegria, "todos queremos ser tocados". "Deus é bom. Ele é o poder supremo, acima de todos os poderes. Este fato deve nos levar a desfrutar desta noite, juntamente com os anjos e com os pastores".

Se não se der glória a Deus, se Ele for "esquecido e até mesmo negado," será negada também a paz. Permanecem hoje, no entanto, correntes de pensamento que consideram as religiões, especialmente as monoteístas, como portadoras de "intolerância" e de "violência".

É verdade que, ao longo da história, vimos "deturpações do sagrado" e "mau uso da religião", o que ocorre "quando um homem acredita que deve assumir ele mesmo a causa de Deus, tornando Deus sua propriedade privada".

A rejeição de Deus, porém, levou a resultados ainda piores, não só contra a paz, mas contra a própria dignidade do homem. "Somente se a luz de Deus brilhar no homem e sobre o homem, somente se cada homem foi querido, conhecido e amado por Deus, só então, por mais miserável que seja a sua situação, a sua dignidade será inviolável", disse o papa.

É graças à encarnação de Deus no Menino de Belém que, ao longo dos séculos, houve sempre "novas forças de reconciliação e de bondade. Na escuridão do pecado e da violência, esta fé trouxe um raio luminoso de paz e de bondade que continua a brilhar".

A oração do papa pediu também o presente da paz: "Que, em vez de armas para a guerra, haja auxílios para quem sofre. Iluminai as pessoas que acreditam que têm de exercer a violência em vosso nome, para que aprendam a entender o absurdo da violência e a reconhecerem a vossa face verdadeira".

Quando os anjos se retiraram de Belém, os pastores exortaram uns aos outros a irem até lá. "Vamos a Belém", dizem eles. Na versão latina, o verbo é trans-eamus: um "ultrapassar", explicou o papa, "com que saímos dos nossos hábitos de pensamento e de vida e ultrapassamos o mundo puramente material para chegar ao essencial, rumo àquele Deus, que, por sua vez, veio até aqui, rumo a nós".

Belém faz parte da nossa oração não somente como o lugar de nascimento de Nosso Senhor, mas também para que naquela terra "os israelenses e os palestinos possam viver na paz do único Deus e na liberdade". A mesma oração se volta ainda a países como o Líbano, a Síria e o Iraque, para que os cristãos naquelas nações "conservem o lar" e, com os muçulmanos, convivam "na paz de Deus".

Os pastores "se apressaram", disse o Santo Padre. Uma solicitude motivada pela "santa curiosidade e pela santa alegria", que hoje, talvez, "ocorre muito raramente", porque Deus não faz mais parte das "realidades urgentes".

Apesar de tudo, ele é "a realidade mais importante" e devemos orar "para que a santa curiosidade e a santa alegria dos pastores toquem também a nós", concluiu Bento XVI.

 Apresentação no Templo, 
Adoração dos Magos,
Fuga e Retorno do Egito

 Depois da Apresentação no Templo e da Adoração dos Magos, José foi avisado em sonho por um anjo que devia fugir para o Egito, porque Herodes queria matar o Menino. O Evangelho diz que, muito dócil à vontade de Deus, “se levantou no meio da noite, pegou a criança e a sua mãe e fugiu para o Egito. E eles ficaram lá até a morte de Herodes”. Assim, a primeira terra de missão de Jesus foi o Egito, no grande continente da África. Lá permaneceram também como migrantes, exilados, sem parentes, sem casa, sem trabalho, sem nome. Ficaram no Egito até a morte de Herodes (que aconteceu nos primeiros três anos da vida de Jesus). O cruel e ambicioso Herodes mandou matar todos os meninos de Belém de dois anos para baixo, querendo matar entre os inocentes o Menino Jesus.

O que o texto diz para nós?
É preciso estar sempre atento para discernir qual é a vontade de Deus. Se preciso, abandonar um caminho e assumir outro menos atraente, porém mais coerente com a vida. Às vezes, é preciso viver no anonimato, no silêncio, para cumprir a vontade de Deus. Os bispos, na V Conferência, falaram várias vezes da situação dos migrantes e do papel da Igreja. " Entre as tarefas da Igreja a favor dos migrantes está indubitavelmente a denúncia profética dos atropelos que sofrem frequentemente, como também o esforço por incidir, junto aos organismos da sociedade civil, nos governos dos países, para conseguir uma política migratória que leve em consideração os direitos das pessoas em mobilidade. Deve ter presente também os deslocados pela violência. Nos países açoitados pela violência se requer a ação pastoral para acompanhar as vítimas e oferecer-lhes acolhida e capacitá-los para que possam viver de seu trabalho. 
Ao mesmo tempo, deverá aprofundar seu esforço pastoral e teológico para promover uma cidadania universal na qual não haja distinção de pessoas.

Os migrantes devem ser acompanhados pastoralmente por suas Igrejas de origem e estimulados a se fazer discípulos e missionários nas terras e comunidades que os acolhem, compartilhando com eles as riquezas de sua fé e de suas tradições religiosas. Os migrantes que partem de nossas comunidades podem oferecer uma valiosa contribuição missionária às comunidades que os acolhem. (DAp 414-415).

Pedido: Peço a graça de  estar atento/a  aos que se sentem "em terra estranha", deslocados, sem espaço..., acolhendo-os e valorizando-os.


Segunda-feira - Lc 2,25-35 - Apresentação de Jesus no Templo ( Contemplação )
Terça-feira - Lc 2,35-39 - Apresentação no Templo (C )
Quarta-feira - Mt 2,1-12 - Adoração dos Magos (C )
Quinta-feira - Mt 2,13-18 - Fuga para o Egito (C )
Sexta-feira - Mt 2,13-18 - Fuga para o Egito (C )
Sábado - Mt 2,19-23 - Retorno do Egito ( C )

Para rezar ou cantar cada dia:
Se alguém está em Cristo é nova criatura. É nova criatura se alguém está em Cristo .(2Cor 5,17)

 Jesus, encontrado no Templo aos 12 anos
e a vida escondida em Nazaré


Continuamos contemplando. Maria e José foram para Jerusalém comemorar a Páscoa, quando Jesus era adolescente de 12 anos.
Ao retornarem a Nazaré, Jesus foi tido pelos seus pais como “desaparecido”. Depois de um dia de viagem, deram falta dele. E só depois de três dias o encontraram no templo, em Jerusalém. Conversava com os doutores.
O que se passou no coração de Maria, mãe de Jesus, e de seu pai, foi muita aflição.
 Quando o encontraram, Maria disse:
“Meu filho, por que foi que você fez isso conosco? O seu pai e eu estávamos muito aflitos procurando você.´
E então Jesus diz as suas primeiras palavras narradas no Evangelho. Elas se referem ao Pai:
“Por que vocês estavam me procurando? Não sabiam que eu devia estar na casa do meu Pai?”  
Essas palavras de Jesus não são sobre nenhum tema, mas referem-se à sua própria pessoa; e afirmam que Ele é o Filho de Deus, obediente à vontade do seu Pai que está no céu.
Depois, Jesus voltou com os pais a Nazaré e lhes era obediente. Crescia em sabedoria, idade e graça.

Pedido: Peço a graça  de ser sempre fiel à vontade do Pai.

Segunda-feira - Jo 1,1-4 - Nós vimos a sua glória (C )
Terça-feira - Lc 2,41-52 - Jesus encontrado no Templo aos 12 anos (C )
Quarta-feira - 1Jo 1,1-4- Nós o vimos e contemplamos
Quinta-feira - Sem texto bíblico - Jesus na vida escondida antes dos 12 anos ( C)
Sexta-feira - Fl 2,6-11 - "esvaziou-se, rebaixou-se" ( C)
Sábado - Gl 4,4-7- Deus enviou o seu Filho(C )

Para rezar ou cantar cada dia:
Se alguém está em Cristo é nova criatura.
É nova criatura se alguém está em Cristo (2Cor 5,17)
 Discernimento

Nesta etapa faremos exercícios de discernimento.
Para o Padre Alberione, discernimento é o método para “distinguir aquilo que é de Deus daquilo que é nosso”. (AD 158).  


O que é?
É assumir a vontade de Deus. Diz Alberione: “A luta é entre o eu que quer adorar a si mesmo, louvando-se, amando-se, servindo a si mesmo em lugar de Deus; e Deus que quer conquistar a pessoa com a força do amor; ligá-la a si com laços de amor; comunicar-se e absorver a pessoa na Divindade, por amor” (DF 63).


Método paulino
Alberione indica Jesus como modelo para fazer a vontade do Senhor. Para ele, fazer a vontade de Deus é viver o verdadeiro amor ao Senhor. Fazer a vontade de Deus é o caminho mais seguro para a santidade.
"Assim fez Nosso Senhor Jesus Cristo. Toda a sua vida é uma tese. O título que a sintetiza está em Hb 10,7: "Eis-me aqui, ó Deus – no rolo do livro está escrito a meu respeito – para fazer a tua vontade". Isto é, a vida de Jesus Cristo pode ser sintetizada neste título: “Vida de quem fez perfeitamente a vontade de Deus”. Jo 4,34: “Meu alimento é fazer a vontade daquele que me enviou”. Jo 8,29: “Eu faço sempre o que lhe agrada”. Jo 19,30: “Tudo está consumado", disse, concluindo a sua missão sobre a cruz.
Portanto, não buscar a nossa vontade, mas a vontade divina em cada coisa. A nossa vontade nos é dada para eleger a vontade divina: sempre, em tudo, com plena adesão e humildade." (DF 44-45).

Discernimento no método inaciano
Para Santo Inácio, discernimento é acolher as boas moções (as que vêm do bom espírito): consentir. Rejeitar as más moções (as que vêm do mau espírito); a estas repelir, resistir.
Santo Inácio fala de "moções espirituais" para fazer o discernimento. E nos convida a imaginar o nosso querer como uma vela acesa. O vento ou sopro pode inclinar a chama para um lado ou outro. A moção é espiritual porque é como um vento que afeta o meu querer, podendo direcioná-lo para um lado ou outro: para algo que é bom ou para algo que é mau. O discernimento me leva a buscar a boa moção, ou seja, a vontade de Deus.





Exercício de Discernimento
Nesta semana faço o exercício de discernimento sobre algum aspecto da minha vida (à escolha). Por exemplo: uma situação que me desagrada, uma decisão que devo tomar, um relacionamento que devo avaliar...

Roteiro

1° Faço a oração para descobrir a vontade de Deus.
Mestre: a tua vida me traça o caminho;
a tua doutrina confirma e ilumina os meus passos;
a tua graça me sustenta e me acompanha no caminho do céu.
Tu és perfeito Mestre:
dás exemplo, me ensinas
e me animas no teu seguimento.
( Bem-aventurado Tiago Alberione)
2º Coloco-me diante da minha própria vontade.
3° Reflito à luz da Palavra de Deus (ver a leitura para cada dia, abaixo).
4° Busco a vontade de Deus a partir da minha realidade e do que a Palavra me diz.
5º Escolho e decido pela vontade de Deus.
6º Faço a verificação (Exame diário). Anoto.

Pedido: Peço a graça de discernir qual é o Projeto de Deus para minha vida.


- Segunda-feira  - Rm 8, 26-30- Exercícios de discernimento na própria vida. (Utilizo o esquema abaixo).
- Terça-feira      - 1Cor 13 - O amor é a referência.
- Quarta-feira    - 1Ts 5,16-24  Atitudes recomendadas por Paulo.
Quinta-feira    - Ef 5,1-20 - Frutos da luz.
Sexta-feira      - Gl 5,13-25 As obras da carne.
Sábado            - Rm 8,35-39 - Deve prevalecer o amor de Deus.

Padre Alberione fez discernimento, continuamente, em sua vida.

Também em nossa vida, o discernimento deve ser freqüente. Devemos criar o hábito de fazê-lo nos acontecimentos grandes e rotineiros.
Esquema para anotar, a cada dia, os Exercícios de Discernimento:

1.Vontade pessoal: .........................................................................

2.Palavra de Deus: .........................................................................

3.Vontade de Deus: .......................................................................

No final da semana: 

4.Escolha e decisão: ......................................................................

Acompanhamento

5.Verificação periódica: ................................................................

 Busca da felicidade

GLÓRIA AO FILHO
Permitir que Jesus Cristo viva em nós
Já vivenciamos  as quatro semanas da 1ª etapa: Via Purificativa. Vivenciamos também as cinco primeiras semanas da 2ª etapa. Agora,  na 2ª Etapa, faremos as Semanas de 10ª a 14ª .
Os Exercícios são feitos com o Método Paulino Verdade Caminho e Vida, com a Leitura Orante.  Tudo requer muitos exercícios e muita oração.
O Espírito fará crescer Jesus em  mim, em nós.
O objetivo é  chegar ao “Todo Jesus em toda a pessoa”
Jesus Verdade – santificação da mente.
                  Jesus  Caminho – santificação da vontade
                              Jesus  Vida –  santificação do coração.  

Roteiro de oração
O bem-aventurado Alberione nos orienta:  
“Como iniciar?
Oferecendo tudo a Deus,
tudo aceitando da mão de Deus,
começando bem, imediatamente, de boa vontade;
continuar, sob o olhar de Deus,
terminando humildemente, completamente. (DF 48).


 Alberione também nos sugere uma postura:

“sentemo-nos a seus pés e digamos:
 Vós sois o Caminho, quero seguir vossos passos
 e imitar vossos exemplos.
Vós sois a Verdade: iluminai-me!


Vós sois a Vida: dai-me a vossa graça!”

2º No Corpo de Cristo (1Cor 12,27ss), do qual sou membro, acolho a todos os outros membros formando com eles uma “comunidade orante” .



Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
Espírito Santo, que procede do Pai e do Filho,
 tu estás em mim, falas em mim, rezas em mim, ages em mim. 
Ensina-me a fazer espaço à tua Palavra, à tua oração, à tua ação em mim
 para que eu possa conhecer o mistério da vontade do Pai.  Amém.


Creio, Senhor Jesus, que sou parte de seu Corpo
( Momento de silêncio para acolher a todos que fazem parte deste Corpo).


Leitura Orante
1. LEITURA (Verdade)- O que diz o texto ?
Leio, na Bíblia,  o texto indicado para o dia (veja abaixo), devagar, e atentamente. Releio. Demoro em alguma expressão.
E rezo com Alberione:
Mestre, tu tens palavras de vida eterna:
Substitui a minha mente, os meus pensamentos pelos teus,
ó Tu que iluminas todo homem e és a própria verdade:
 eu não quero raciocinar senão como Tu ensinas,
 nem julgar   senão conforme os teus julgamentos,
 nem pensar senão a Ti verdade substancial, dada a mim pelo Pai: 
“Vive na minha mente, ó Jesus verdade”.
 (DF 39).

2. MEDITAÇÃO (Caminho)- O que o texto diz para mim?
Recordo outros textos bíblicos relacionados. Atualizo, trazendo o texto para hoje. Faço o exame de consciência, como orienta o Bv. Alberione:
1. Recordação da vida
: Recordo os momentos e as situações em que percebi a presença de Deus.
2. 
Agradecimento. Agradeço a Deus por todas as graças recebidas desde o último exame.
3. 
Exame: examino-me desde a hora em que me despertei até o presente, sobre os pensamentos, palavras, ações, sentimentos.
4. 
Arrependimento: Peço perdão a Deus pelas faltas.
5. 
Proponho-me viver conforme à vontade de Deus. Rezo:


Mestre, a tua vida é preceito, caminho, segurança.
Desde o Presépio, Nazaré, o Calvário, é tudo um caminho.
Aquilo que tu queres, eu quero; estabelece a tua vontade no lugar da minha vontade.


 (DF 39).
3. ORAÇÃO (Vida)- O que o texto me faz dizer a Deus?
Faço, em silêncio, oração de ação de graças, pedidos e adoração. E rezo:


Mestre, ao meu coração, se substitua o teu.
Ao meu amor a Deus, ao próximo, a mim mesmo, se substitua o teu.
À minha vida humana pecadora, se substitua a tua divina.
Para colocar-Te em mim, cuidarei especialmente 
da Comunhão, da Santa Missa, da Visita ao Santíssimo Sacramento, da devoção à Paixão. 
E esta vida possa se manifestar nas obras, assim como aconteceu com São Paulo.
Vive em mim, ó Jesus Vida.
 (DF 40)

4. CONTEMPLAÇÃO/ MISSÃO (Vida)- Qual o novo olhar que a leitura, a meditação e a oração despertaram em mim?
Assumo um compromisso. E anoto, a cada dia, numa agenda, a síntese da oração:

VERDADE (Palavra mais forte)................................
CAMINHO (sentimentos e apelos) ..........................
VIDA (compromisso) ...............................................
Finalizo, fazendo o

Oferecimento do Dia
Adoro-vos, meu Deus, amo-vos de todo o meu coração.
Agradeço-vos porque me criastes, me fizestes cristão, me conservastes a vida e a saúde.
Ofereço-vos o meu dia: que todas as minhas ações correspondam à vossa vontade.
E que faça tudo para a vossa glória e
a paz das pessoas.
Livrai-me do pecado, do perigo e de todo o mal.
Que a vossa graça, benção, luz e presença permaneçam sempre comigo
e com todos aqueles que eu amo. Amém.




10ª SEMANA: Busca da felicidade ou Indiferença (I)
As coisas são importantes e devem ser valorizadas enquanto ajudam a “viver e comunicar Jesus”. Para Alberione, a indiferença supõe: ser superior, abster-se  e assumir.

PedidoPeço a graça do desprendimento, acolher tudo com os olhos de Deus, sem  me apossar de nada.

Segunda-feira    Fl 3, 7-12          Amor-próprio (perda) e amor de Deus (ganho)   (LO)
Terça-feira          2Cor 12, 7-10    Deus age na nossa  fraqueza  (LO)
Quarta-feira        Mc 8,34-36      “Se alguém vier atrás de  mim...” (LO)
Quinta-feira        Ef 5,1-20           Frutos da luz ... (LO)
Sexta-feira          Fl 2,1-11           Exemplo de Cristo (LO)
Sábado               Mc 10,17-22    Que renúncia devo fazer?
           
Partilhe sua experiência - conquistas e dificuldades - pelo e-mail:
fspatricia@hotmail.com  ou  
cevvcv@hotmail.com



 Jesus no início da vida pública
 “Jesus ingressa na vida pública: deixa tudo, mãe, casa, ocupações. Com o jejum, batismo, vencendo as tentações, conquistando primeiro os corações. Na vida pública associa a vida contemplativa à ativa.” (DF 42)

Pedido: Peço a graça de viver a minha consagração batismal renovando-a a cada dia

Segunda-feira      Mt 3,13-17             Da Galileia Jesus foi ao  Jordão para ser batizado por João. (LO)
Terça-feira          Mt 3,13-17             Repetição
Quarta-feira        Mt 4,1-11               Tentação no deserto (LO)
Quinta-feira        Mt 4,1-11               Repetição
Sexta-feira          Jo 1,35-51              Os primeiros discípulos(LO)
Sábado                Jo 1,35-51              Repetição

Para rezar ou cantar:
Até que Cristo se forme em vós
Em mim, em ti, em nós (Gl 4,19)
(CD Palavras  Sagradas de Paulo Apóstolo, Fx 3, Paulinas/COMEP

Vida pública de Jesus

Relação com as pessoas
Jesus, seus discípulos e sua mãe participam de uma festa de casamento no povoado de Caná, na Galileia.
É o primeiro sinal de Jesus. O Evangelho diz que "ali manifestou a sua glória e os discípulos creram nele"
(Jo 2,11).
 O casamento reunia muitas pessoas
É neste ambiente que Jesus faz o seu primeiro milagre. Por este sinal, diz o Evangelho, os discípulos creem nele. No Antigo Testamento, o matrimônio é símbolo do amor de Deus pela comunidade; é símbolo da união do Messias com a Igreja, como diz São Paulo: "Cristo amou a Igreja e deu a vida por ela" (Ef 5,25). O vinho é dom do amor e símbolo do Espírito. Acabar o vinho era um mal sinal. À preocupação de Maria - "O vinho acabou" -, Jesus dá uma resposta que parece uma repreensão - "Não é preciso que a senhora diga o que eu devo fazer". Porém, passa a ideia de que não é preciso que Maria diga o que ele deve fazer. Maria acredita nele, por isso, diz aos empregados: "Façam o que ele mandar". E assim foi feito. Os empregados, seguindo o conselho de Maria, obedecem a Jesus. Enchem os seis potes de pedra de água. Ao levar ao dirigente da festa um pouco da água destes potes, ela havia se transformado em vinho. Esta mudança da água em vinho simboliza a passagem da velha à nova economia. O vinho novo é melhor. Esta é missão de Maria: dar Jesus à humanidade e levá-la até Jesus.
Quantos relacionamentos podem observar nesta cena.

A reta intenção: é a que vai diretamente a Deus sem passar por vias tortuosas,
para a sua glória, para cumprir a sua vontade!” (DF 45).

Textos para a oração diária

PedidoPeço a graça de crescer no relacionamento com os irmãos e com Deus e fazer sempre a sua vontade.

Segunda-feira      Jo 2,1-12                        As bodas de Caná  ( LO)
Terça-feira           Lc 19,1-10                     Jesus e Zaqueu (LO )
Quarta-feira        Jo 4,1-42                        Jesus e a mulher da Samaria (LO )
Quinta-feira         Mc 10, 13-16                Jesus e as crianças ( LO)
Sexta-feira           Mc 10,17-30                 Jesus e o homem rico (LO)


Sábado                 Sem texto bíblico            Repetição

 Jesus na  vida pública
O Mestre que ensina
 Vida pública de Jesus:
Perfeita correspondência à vocação:
ensinar aos pobres o Evangelho,
estabelecer a Igreja etc.
Predileção e redenção dos pecadores, pelos Apóstolos, pelos pequenos.”
(DF 43).
Bem-aventurança significa  felicidade completa, perfeita.
As bem-aventuranças de Jesus são como a constituição de povo de Deus.
O que nos diz o Catecismo da Igreja Católica?
As bem-aventuranças retratam o rosto de Jesus Cristo e descrevem-nos a sua caridade: exprimem a vocação dos fiéis associados à glória da sua paixão e ressurreição; definem os actos e atitudes características da vida cristã; são as promessas paradoxais que sustentam a esperança no meio das tribulações; anunciam aos discípulos as bênçãos e recompensas já obscuramente adquiridas; já estão inauguradas na vida da Virgem Maria e de todos os santos.
 As bem-aventuranças respondem ao desejo natural de felicidade. Este desejo é de origem divina; Deus pô-lo no coração do homem para o atrair a Si, o único que o pode satisfazer. (CIC 1717-1718)
As bem-aventuranças descobrem a meta da existência humana, o fim último dos atos humanos: Deus chama-nos à sua própria felicidade. 
 O Novo Testamento emprega muitas expressões para caracterizar a bem-aventurança a que Deus chama o homem: a chegada do Reino de Deus ; a visão de Deus: «Bem-aventurados os puros de coração, porque verão a Deus» (Mt 5, 8) ; a entrada na alegria do Senhor; a entrada no repouso de Deus 

«Lá, descansaremos e veremos: veremos e amaremos; amaremos e louvaremos. Eis o que acontecerá no fim sem fim. E que outro fim temos nós, sendo chegar ao Reino que lido tem fim ?» 
 De fato, Deus colocou-nos no mundo para O conhecermos, servirmos e amarmos, e assim chegarmos ao paraíso. A bem-aventurança faz-nos participantes da natureza divina (1 Pe 1, 4) e da vida eterna. Com ela, o homem entra na glória de Cristo e no gozo da vida trinitária. (CIC 1719-1721).

As bem-aventuranças respondem ao desejo natural de felicidade. Este desejo é de origem divina; Deus o pôs no coração do homem para o atrair a si, o único que o pode satisfazer:

«Como é então, Senhor, que eu Te procuro? De fato, quando Te procuro, ó meu Deus, é a vida feliz que eu procuro. Faz com que Te procure, para que a minha alma viva! Porque tal como o meu corpo vive da minha alma, assim a minha alma vive de ti» (Santo Agostinho, Confissões).

«Só Deus sacia» (Santo Agostinho, Confissões, 10).


(Veja na coluna ao lado o Roteiro para a Oração)

PedidoPeço a graça de ser discípulo fiel, ao acolher a Palavra do Mestre

Segunda-feira       Mt 5,1-12              As bem-aventuranças ( LO)
Terça-feira           Mt 5,13-16             Sal da terra e luz do mundo( LO)
Quarta-feira         Mt 5,17-26             A nova Lei ( LO)
Quinta-feira         Mt 5,27-37             A nova Lei ( LO)
Sexta-feira           Mt 5,38-48             A nova Lei ( LO)
Sábado                 Sem texto                Repetição

Para rezar ou cantar:
Se Deus é por nós, se Deus é  por nós
Quem será, quem será contra nós?

CD Palavras Sagradas de Paulo Apóstolo, Fx 04, Paulinas/Comep
Vida pública de Jesus
 “A vida de Jesus Cristo pode ser sintetizada neste título: 
“Vida de quem fez perfeitamente a vontade de Deus
Devemos depender de Deus,
contar com Deus, 
mirar a Deus.” (DF 44-45).

Na parábola do Bom Samaritano que vamos meditar, nem o sacerdote, nem o levita deram atenção e cuidados ao homem quase morto. Quem parou, teve compaixão, chegou perto, limpou-lhe os ferimentos e cuidou dele, levando-o consigo para a pensão, foi o samaritano. 
O samaritano era discriminado pelos judeus e até detestado por eles. 
Na parábola de Jesus é justamente um samaritano que vive o verdadeiro amor ao próximo.
O que o texto me diz?  Sinto-me também convocado a repetir o gesto do samaritano? Onde? Como?Recordo-me de muitos bons samaritanos de hoje: 
madre Teresa de Calcutá, Dom Luciano Mendes de Almeida, irmã Dorothy, Francisco de Assis, ...
Os bispos, em Aparecida, disseram: "A Igreja, como "comunidade de amor" é chamada a refletir a glória do amor de Deus que, é comunhão, e assim atrair as pessoas e os povos para Cristo. No exercício da unidade desejada por Jesus, os homens e mulheres de nosso tempo se sentem convocados 
e recorrem à formosa aventura da fé. 
"Que também eles vivam unidos a nós para que o mundo creia" (Jo 17,21). 
A Igreja cresce, não por proselitismo mas "por 'atração': 
como Cristo 'atrai tudo a si' com a força de seu amor"
 (Bento VXI, em Aparecida).
A Igreja "atrai" quando vive em comunhão, 
pois os discípulos de Jesus serão reconhecidos 
se amarem uns aos outros como Ele nos amou.
 (cf. Rm 12,4-13; Jo 13,34). 
(DAp 159).

Leituras da Semana

PedidoPeço a graça de compreender e viver com fé os ensinamentos do Mestre.

Segunda-feira      Mt 8,23-27            Tempestade acalmada ( LO)
Terça-feira           Mt 14,22-33          Jesus caminha sobre as águas ( LO)
Quarta-feira         Repetição
Quinta-feira         Lc 10,25-37           O bom samaritano  ( LO)
Sexta-feira           Mc 12,41-44          O óbulo da viúva  ( LO)
Sábado                 Sem texto                Repetição

Para rezar ou cantar:
Se Deus é por nós, se Deus é  por nós
Quem será, quem será contra nós?
CD Palavras Sagradas de Paulo Apóstolo, Fx 04, Paulinas/Comep



 Vida Pública de Jesus
Os sinais que anunciam a chegada do Reino de Deus. 

Curas, ressurreição, transfiguração, reconhecimento, são inúmeros os sinais que proclamam a divindade de Jesus. Importa descobrir estes sinais no quotidiano. A cada instante, Deus realiza um sinal em nossa vida. Para percebê-lo não basta um toque físico. É preciso mais, aquilo que havia no coração do leproso, da família de Lázaro, da mulher hemorroíssa: um forte e profundo toque de fé. Adesão!

Pedido: Peço o grande dom da oração e adesão aos projetos de Deus. Uma grande fé.
Mestre: a tua vida traça o meu caminho; 
a tua doutrina confirma e ilumina meus passos; 
a tua graça me sustenta e ampara no caminho para o céu. 
Tu és o Mestre perfeito: 
dás o exemplo, ensinas e confortas o discípulo para te seguir.

Segunda-feira            Mt 8,5-13           Cura do leproso ( LO)
Terça-feira                 Mt 17,1-13        A transfiguração ( LO)
Quarta-feira              Sem texto           repetição dos anteriores  
Quinta-feira              Jo 11,1-44          Ressurreição de Lázaro ( LO)
Sexta-feira                Mc 11,1-11        Entrada  em Jerusalém ( LO)
Sábado                      Lc 8,40-56         Menina, levanta-te ( LO)

Rezo com o bem-aventurado Alberione:

 Mestre, tu tens palavras de vida eterna: substitui a minha mente, os meus pensamentos contigo mesmo, ó Tu que iluminas todo homem e és a própria verdade: eu não quero raciocinar senão como Tu ensinas, nem julgar senão conforme os teus julgamentos, nem pensar senão a Ti verdade substancial, dada a mim pelo Pai: “Vive na minha mente, ó Jesus verdade”.

A tua vida é preceito, caminho, segurança única, verdadeira, infalível. Desde o Presépio, Nazaré, o Calvário, é tudo um traçar a via divina: de amor ao Pai, de pureza infinita, de amor às almas, ao Sacrifício... 
Faze com que eu a conheça, faze com que eu coloque, a cada momento, o meu pé sobre as tuas pegadas de pobreza, castidade, obediência: todo outro caminho é largo... não é teu:
Jesus, eu ignoro e detesto todo caminho não marcado por Ti. Aquilo que Tu queres, eu quero; estabelece a tua vontade no lugar da minha vontade.

Ao meu coração, se substitua o teu: ao meu amor a Deus, ao próximo, a mim mesmo, se substitua o teu. 

 “Vontade de Deus é o grande sol ao qual a pessoa, como o girassol, deve estar sempre voltada”. (DF 20).




ELEIÇÃO OU REFORMA DE VIDA

Fruto da segunda ETAPA (Via iluminativa), para Alberione, é a eleição da vocação; ou o modo de segui-la; ou um ponto particular. ( Cf. DF 99). 
Tudo se realiza no Espírito Santo: 
como a vida de  Jesus Cristo, a vida da Igreja,  a vida sobrenatural, em nós. O objetivo é que Jesus esteja  todo em toda a pessoa:

Jesus-Verdade – Santificação da mente.
Jesus-Caminho - Santificação da vontade.
Jesus-Vida – Santificação do coração.

O processo de eleição é um recurso para ajudar a definir este direcionamento, ou seja, escolha de estado de vida, ou um caminho mais conforme a vontade de Deus. Este processo se faz pela Leitura Orante e reflexões que são sugeridas a seguir.
Durante a semana reflito diferentes textos para iluminar:
a) Textos bíblicos iluminadores ( pode ser utilizado, à escolha, ou conforme sugestão abaixo).

Pedido: Peço a graça de eleger Deus como centro de minha vida.

Segunda          1Ts 1, 2-7 1Ts 5,15-20 (LO)
Terça               Col 3, 12-17 Jo 5,30 (LO)
Quarta             Mt 5     2Tm 1,6-14 (LO)
Quinta             Mt 7,13-23   Mt 7,21
Sexta               Gl 5,13-26    Rm 8,14-17(LO)
Sábado            1Cor 12,1-27 1Cor 13 (LO)
Domingo         Ef 5,6-21 Fl 3, 1-14 (LO)

b) Palavra da Igreja:

 “Dos que vivem em Cristo se espera um testemunho muito crível de santidade e de compromisso. Desejando e procurando essa santidade não vivemos menos, mas melhor, porque, quando Deus pede mais, é porque está oferecendo muito mais: “Não tenham medo de Cristo! Ele não tira nada e nos dá tudo!”(Documento de Aparecida, 352).

PROCESSO DE ELEIÇÃO
À luz da Palavra faço os seguintes passos:
1º. Problema geral  (limite,dificuldade, apelo)
...................................................................................................
...................................................................................................
...................................................................................................
2º. Causas:
...................................................................................................
...................................................................................................
...................................................................................................
...................................................................................................
3º. Habilidade pessoal para resolver, responder:
...................................................................................................
...................................................................................................
...................................................................................................
4º. Sentimentos envolvidos:
...................................................................................................
...................................................................................................
...................................................................................................
...................................................................................................
5º. Possíveis orientações:
...................................................................................................
...................................................................................................
...................................................................................................
6º. Ponto principal da eleição:
...................................................................................................
...................................................................................................
...................................................................................................
........................................................................................


“A luta é: entre o eu que quer adorar a si mesmo, louvando-se, amando-se, servindo a si mesmo em lugar de Deus;  e Deus: que quer conquistar o homem com a força do amor; ligá-lo a si com laços de amor; comunicar-se e absorver o homem na Divindade, por amor.” (Alberione em DF 63).

Para cantar ou rezar:
Pela graça de Deus sou o que sou,
Sou o que sou pela graça de Deus.   (1Cor 15,10)


O cônego Francisco Chiesa, 
mestre espiritual do bem-aventurado Alberione, 
indica como objetivo do desenvolvimento da vida, 
justamente a meta traçada por Gl 4, 19:
“Quando Jesus puder respirar em nós livremente,
quando bater regularmente em nós o pulsar do seu coração, e nós formos convenientemente alimentados com o Pão da vida,
o que ainda faltará?
Jesus não somente viver em nós,
mas ainda crescer e se desenvolver dia a dia, até à sua completa formação: donec formetur Christus in vobis.
Oh! Felizes aqueles que podem ter uma sorte tão grande!
Ora, este não é um privilégio somente de algumas almas.
Todos são chamados, porque todos devemos ser santos".
Roteiro de oração
Alguns dias farei a Contemplação. Outros, a Leitura Orante.
Preparo-me para a oração, em momento e locais próprios. É a minha “tenda de encontro” com Deus.
Entro em comunhão com toda a comunidade que faz estes Exercícios.
Apresento a Deus, o clamor da humanidade inteira que, como diz são Paulo, suspira como que com dores de parto, aguardando a manifestação gloriosa dos filhos de Deus.(Rm 8,22).
E rezo:
Santo Espírito, amor do Pai,
Toca a minha mente, a minha vontade, o meu coração.
Abre-me à coragem da verdade.
Dá-me a força para deixar-me tocar
e renovar profundamente por Jesus, Palavra do Pai.
Amém


17ª Semana 
Contemplação de Jesus 
na sua expressão maior 
de amor por nós.

Pedido: Peço a graça de seguir Jesus no seu caminho da Paixão, em solidariedade com todos os que sofrem
Segunda-feira - Mc 14,53-65 - Jesus diante do Sinédrio – o juízo dos religiosos (sumo sacerdote)
(LO )
Terça-feira     - Mc 14,66-72 - Negação de Pedro (LO )
Quarta-feira  - Mc 15,1-15 - Jesus na casa de Pilatos e Herodes – Juízo da autoridade civil (LO)
Quinta-feira  - Mc 15,16-20 - Jesus é escarnecido (LO )
Sexta-feira    - Mc 15,21-41 - O Caminho da Cruz / Calvário (LO )
Sábado          - Sem texto bíblico - Repetição das contemplações da semana


O maior amor
Jesus na sua expressão maior de amor por nós

Pedido: Peço a graça de seguir Jesus no seu Caminho dentro do Projeto do Pai.


Segunda-feira - Mc 14,53-65 - Jesus diante do Sinédrio – o juízo dos religiosos (sumo sacerdote) (LO)
Terça-feira - Mc 14,66-72 - Negação de Pedro (LO)

Quarta-feira - Mc 15,1-15 - Jesus na casa de Pilatos e de Herodes – O juízo da autoridade civil (LO)

Quinta-feira - Mc 15,16-20 - Jesus é escarnecido ((LO)

Sexta-feira - Mc 15,21-41 - O Caminho da Cruz / Calvário (LO)

Sábado - Sem texto bíblico - Repetição das Leituras da semana
Jesus Caminho
1. Jesus é o caminho para a glória, ou fim último. Os homens haviam perdido a estrada para o céu; pois, em busca da felicidade, a procuravam na avareza, no prazer, na vaidade: estradas que deixam no eterno erro. Jesus ensinou-nos a buscá-la na humildade, na pobreza, na mortificação. “Somente nele podemos convenientemente adorar, agradecer, propiciar, suplicar ao Pai”. (DF 40)

2. Nosso Senhor Jesus Cristo buscou somente o Pai: não a própria glória. De fato: nas suas obras foi ao encontro de muitas humilhações, até a humilhação da cruz.
A vida se abre como tese ao “Glória a Deus no mais alto dos céus” (cf. Lc 2,14).

Se conclui com o inclinar a cabeça diante da morte. Jo 8,50: “Eu não procuro a minha glória”. “Jo 12,28: “ Pai, glorifica o teu nome”. Jo 5,30: “Procuro a vontade daquele que me enviou”. (DF45).

3. Procura-se a reta intenção:
a) condenando a priori toda vaidade;
b) orientando, explicitamente, tudo ao Senhor;
c) expiando toda vã intenção. (DF 45).



Para rezar ou cantar cada dia
Ele me amou e se entregou por mim. (Gl 2,20)
CD Palavras Sagradas de Paulo Apóstolo - COMEP


Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus Cristo
Piedade penitencial
Nesta semana, continuamos vivenciando a Piedade Penitencial.
Que significava para Padre Alberione a piedade penitencial? Ele sempre se considerou um convertido, na situação de penitente que invoca misericórdia.. Um momento alto desta experiência foi aquele do “sonho” (1923) no qual ouviu as palavras do Divino Mestre: «...Tenham arrependimento dos pecados» ou "Vivam em contínua conversão".
Faremos exercícios desta prática tão importante para a nossa santificação: o exame de consciência.

Exame de consciência (do dia e do período)
Objetivo
“Então o Coração de Jesus curará o nosso das suas doenças (indiferença, desconfiança, má inclinação, paixões doentias, sentimentos vãos, aspirações humanas...), e o fará bater em uníssono com o seu pela glória de Deus e a paz das pessoas. Nos fará compreender o abismo do nosso nada e a grande elevação em Jesus Cristo” .

Como fazê-lo?
Padre Alberione indica os seguintes passos:

  • Oração inicial: Pedir graças para fazer bem o exame. Pedir ajuda de Deus para recordar as vezes que faltou e força para se corrigir.

  •  Agradecimento. Agradecer a Deus por todas as graças recebidas desde o último exame. Rezar com São Paulo: 1Tm 1,12-17.
VERDADE - Deixar-se iluminar pela Palavra indicada para cada dia.

Pedido: Peço a graça de poder dizer como São Paulo: “Fui morto na cruz com Cristo. Não sou eu que vivo. É Cristo que vive em mim” (Gl 2,19-20).

segunda – Jo 12,1-11 – Maria unge Jesus.
terça- Jo 13,21-33.36-38 – O traidor: Judas.
quarta –Mt 26,14-25 – Preparação da Páscoa.
quinta –CEIA DO SENHOR – Jo 13,1-15 - Servir.
sexta – PAIXÃO DO SENHOR – Jo 18,1-19.42.
Sábado - Lc 24,1-12 – “Ressuscitou!”

Canto: Se alguém está em Cristo é nova criatura.

É nova criatura, se alguém está em Cristo (2Cor 5,17).

CAMINHO -  Exame: pedir conta de si mesmo desde a hora em que se levantou até presente, hora por hora ou tempo por tempo, sobre os o exame pensamentos, palavras e ações.
Arrependimento: Pedir perdão a Deus .

VIDA -  Propor viver conforme à vontade de Deus.


Revisão
Ao final do dia - Hino ao amor
No fim de cada dia, canto o Hino ao Amor, a Deus que comigo esteve a cada passo.
1º Expresso ação de graças por tudo o que aconteceu de bem na minha vida, na vida dos demais, no mundo.
Refrão/Oração: Por tudo dai graças, por tudo dai graças, por tudo dai graças, dai graças! (1 Ts 5,18)
2º Invoco o Espírito Santo, pedindo luz para discernir o que foi bom, o que omiti, o que podia ter sido melhor.
Refrão/Oração: A Palavra está perto de ti, em tua boca, em teu coração. (Rm 10,8)
3º Avalio, com olhar de fé, como vivi durante o dia o Hino ao amor, como permiti que Deus atuasse em minha vida, nas situações, encontros, acontecimentos, palavras, atitudes. Recordo meu empenho pessoal, o Evangelho do dia e leio 1Cor 13,1-8.13 e, à luz desta Palavra, faço meu Exame de consciência, passando e fazendo uma pausa a cada versículo.

1Ainda que eu falasse línguas, as dos homens e dos anjos, se eu não tivesse o amor, seria como sino ruidoso ou como címbalo estridente
2Ainda que eu tivesse o dom da profecia, o conhecimento de todos os mistérios e de toda a ciência; ainda que eu tivesse toda a fé, a ponto de transportar montanhas, se não tivesse o amor, eu não seria nada.
3 Ainda que eu distribuísse todos os meus bens aos famintos, ainda que entregasse o meu corpo às chamas, se não tivesse o amor, nada disso me adiantaria.
4 O amor é paciente, o amor é prestativo; não é invejoso, não se ostenta, não se incha de orgulho.
5 Nada faz de inconveniente, não procura seu próprio interesse, não se irrita, não guarda rancor.
6 Não se alegra com a injustiça, mas se regozija com a verdade.
7 Tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
8 O amor jamais passará. As profecias desaparecerão, as línguas cessarão, a ciência também desaparecerá.
13 Agora, portanto, permanecem estas três coisas: a fé, a esperança e o amor. A maior delas, porém, é o amor.

4º Peço perdão a Jesus Mestre, por não ter sido bom discípulo, pelo bem que deixei de fazer. Jesus Mestre, Verdade, Caminho e Vida, tende piedade de nós.
Refrão/Oração: Até que Cristo se forme em vós, em mim, em ti, em nós (Gl 4,19)
5º Preparo-me para o dia seguinte, lendo o texto do Evangelho e fazendo a primeira parte da Leitura Orante.
6º Confio ao Senhor o amanhã, renovo minha consagração e peço a bênção a Maria, Rainha dos Apóstolos, rezando como ensinou o Bem-aventurado Alberione:
Maria, minha querida Mãe,
alcançai-me de Deus a graça de ser fiel a seu plano de amor.
Sede a minha força contra o mal.
Conservai-me junto de  vós e de Jesus. 
Não me deixeis cair, 
não permitais que eu me afaste de vós, minha Mãe.
Como é bom pela manhã dirigir a vós o primeiro olhar!
Durante o dia caminhar na vossa presença e,
à noite adormecer sob a vossa proteção!
Maria eu vos consagro toda a minha vida!
Jesus Mestre, eu vos pertenço plenamente e tudo que tenho vo-lo ofereço,
pelas mãos de Maria, vossa Mãe Santíssima.
Em nome do Pai....

Que significa conhecer e experimentar o meu “nada”?
Não devemos repudiar nada daquilo que é nosso, nada daquilo que temos, nada daquilo que somos. Devemos ver e conhecer que é tudo coisa nossa e que é bom, bom na nossa deficiência, porque cada limite nosso atrai para nós a misericórdia de Deus.


Em que consiste o pecado?

Pedido: A graça da consciência do pecado.

Segunda-feira - Is 59, 1-2. 20-21 - A pessoa se separa de Deus.
Terça-feira - 2Sm 11, 1-17 - O pecado supõe um processo: tentação interna ou externa, consentimento e execução.
Quarta-feira -  Gn 3,1-1-19 - O pecado é uma desobediência e uma revolta contra Deus, por vontade de tornar-se "como Deus", (CIC 1850). É orgulho e prepotência.
Quinta-feira - Gl 5,19-21 - O pecado são obras da carne que se opõem ao Espírito.
Sexta-feira -  Mt 25,31-46 - Causas do pecado: relativismo cultural e ético e o  secularismo que obscurece o sentido de Deus e do pecado.  São "estruturas de pecado"
Sábado - Mt 5,17-48 - Formas diversas de pecados:

Por razão da pessoa ofendida: contra Deus, contra o próximo,
contra si mesmo, contra a convivência social.

- Em relação ao estado da consciência: atual, habitual, material, formal, interno, externo.
- Por razão da gravidade: mortal, venial.
- Por razão do autor: original, pessoal, social.
- Por razão do modo: de comissão, de omissão.
- Por razão da atenção: deliberado, semi-deliberado.
- Por razão da sua especial gravidade e desordem: capital, que clama ao céu, contra o Espírito Santo.

O cardeal Carlo Maria Martini, de feliz memória falava do pecado, respondendo a uma senhora que se dizia preocupada com jovens condenados a um manicômio. Disse ele:

" Gostaria de gritar mais uma vez que o ser humano é maior do que o seu pecado, 
o ser humano é maior do que os seus erros, 
o ser humano, por mais culpado que seja, continua sendo ser humano. 
As suas fragilidades, 
os dramas que o habitam, 
as monstruosidades que pode ter cometido ofuscam, 
desbotam, mas não apagam a sua dignidade que, ao contrário, 
a sociedade é chamada a reconstruir, 
a limpar, 
a educar, 
a medicar. 
Jesus diz: "As pessoas que têm saúde não precisam de médico, mas só as que estão doentes. Eu não vim para chamar justos, e sim pecadores" (Marcos 2, 17). 
E se a sociedade tem o dever da justiça, 
ela é destinada a recuperar todo o possível do humano que há em cada ser humano, 
todo o bem que nele permaneceu. 
Quem deixa o ser humano na sua culpabilidade, 
quem o esculpe dentro dela, não é muito diferente do próprio culpado. 
Desejo que o mundo sintonize o seu coração com o deste que escreve e que jamais ocorra, 
por questões de dinheiro ou de simples desinteresse, 
que homens e mulheres sejam abandonados aos seus erros e às suas doenças."


GLÓRIA AO ESPÍRITO SANTO
Formar-se em Jesus.  A nossa “transformação em Deus”
21ª  SEMANA

As disposições de Maria Rainha dos Apóstolos: disponível a Deus
O Espírito dá forma a Jesus Verdade em nós  (Mente).
O Espírito dá forma a Jesus Caminho em nós (Vontade). 
O Espírito dá forma a Jesus Vida em nós ( Coração).

 Vida nova em  Jesus ressuscitado

Preparo-me para acolher a vida nova no Ressuscitado, rezando:
Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
Creio, Senhor Jesus, que sou parte de seu Corpo.
Trindade Santíssima
- Pai, Filho, Espírito Santo -
presente e agindo na Igreja e 
na profundidade do meu ser.
Eu vos adoro, amo e agradeço.

Hoje, há pessoas que preferem os velhos esquemas e não aceitam uma mudança ,  não se colocam com sinceridade diante de Deus, nem querem seguir Jesus, deixando-se guiar por ele. É preciso deixar que o Espírito Santo aja com todas a liberdade em todos os âmbitos de minha vida. Isto é "nascer de novo". Dizia João Paulo II: "Não tenham medo de Jesus. Não tenham medo da vida nova que ele nos oferece. Ele mesmo dá a nós a possibilidade de acolhê-la e colocá-la em prática". Invoco o Espírito Santo para acolher a comunicação de Deus na sua Palavra:

Vinde Espírito Santo!
Enchei os corações dos Vossos fiéis e
acendei neles o fogo do vosso amor.
Enviai o Vosso Espírito,
e tudo será criado.
E renovareis a face da terra.
Oração
Deus, que instruístes os corações dos
vossos fieis com a luz do Espírito Santo,
fazei com que apreciemos retamente
todas as coisas segundo o mesmo Espírito
e gozemos sempre da sua consolação.
Por Cristo, Senhor nosso.
AMÉM.


Cada dia faço a minha reflexão, seguindo o esquema da Leitura Orante.

Segunda-feira               Mt 28,16-20      Jesus ressuscitado no monte na Galileia ( LO)
Terça-feira                   At 1,1-11                Ascensão de Jesus (LO)
Quarta-feira                 Sem texto bíblico           Repetição das duas citações anteriores  (LO)
Quinta-feira                 At 1,12-14         Preparação à vinda do Espírito Santo (LO)
Sexta-feira                   At 2,1-13             Vinda do Espírito Santo (LO)
Sábado                        Sem texto bíblico   Repetição das duas citações anteriores  (LO)

Para rezar ou cantar cada dia
Eu sei, eu sei, eu sei em quem acreditei.  (2Tm 1,12)
 CD  Palavras Sagradas de Paulo Apóstolo,  Faixa  13, COMEP



Vida nova em  Jesus ressuscitado
Um pensamento do papa Francisco, no segundo Domingo da Páscoa:
“Como é belo o olhar de Jesus posto sobre nós! Quanta ternura! Não percamos jamais a confiança na paciente misericórdia de Deus!” – esta a mensagem de hoje do Papa Francisco divulgada via twitter aos milhões de seguidores das diversas línguas, incluindo o português. 
 Ao meio-dia, dirigindo-se, da janela do seu escritório sobre a Praça de São Pedro, aos muitos fiéis e turistas que ali se tinham congregado para este costumado encontro dominical, o Papa recordou que se celebrava hoje o domingo da Divina Misericórdia, por decisão do beato João Paulo II, que faleceu precisamente na vigília desta ocorrência.
Evocando o Evangelho do dia, com a manifestação de Jesus ressuscitado, no primeiro dia da semana, e a incredulidade de Pedro, Papa Francisco comentou a saudação que Jesus dirige aos apóstolos e a nós também: “Paz a vós!” “Não é uma saudação, e nem sequer um simples voto de boas festas: é um dom, mais ainda, o dom precioso que Cristo oferece aos seus discípulos depois de ter passado pela morte… Dá a paz como tinha prometido: 
Deixo-vos a paz, dou-vos a minha paz…” 
Recordando a ausência de Tomé, aquando da primeira manifestação aos apóstolos, e a incapacidade que ele manifestou em crer sem ter visto, o Santo Padre sublinhou as palavras de Jesus “Bem-aventurados os que acreditam sem terem visto”.
“Bem-aventurados aqueles que não viram e acreditaram: esta é a bem-aventurança da fé. Em todos os tempos e lugares, são bem-aventurados os que, através da Palavra de Deus, proclamada na Igreja e testemunhada pelos cristãos, crêem que Jesus Cristo é o amor de Deus encarnado, a Misericórdia encarnada.”

Pedido: Vamos pedir a paz para o nosso coração e para o mundo.
Para rezar cada dia:
Segunda-feira       Mt 28,16-20   Jesus ressuscitado no monte na Galiléia (LO)
Terça-feira           At 1,1-11       Ascensão de Jesus (LO)
Quarta-feira         Sem texto bíblico    Repetição das duas citações anteriores  (LO)
Quinta-feira         At 1,12-14      Preparação à vinda do Espírito Santo (LO)
Sexta-feira          At 2,1-13       Vinda do Espírito Santo (LO)
Sábado              Sem texto bíblico Repetição das duas citações anteriores  (LO)

Para rezar ou cantar cada dia
Eu sei, eu sei, eu sei em quem acreditei.  (2Tm 1,12)
 CD  Palavras Sagradas de Paulo Apóstolo,  Faixa  13, COMEP





 A  “nossa transformação em Deus”
O papa Francisco falou, no dia 7 de abril de 2013, sobre a Páscoa ,
a paz e a missão de todos a anunciar a Boa Notícia: 

Com a sua paz, Jesus dá-nos o seu Espírito Santo e o perdão dos pecados, o perdão que só Deus pode dar.

“A Igreja é mandada por Cristo ressuscitado a transmitir aos homens a remissão dos pecados, fazendo assim crescer o Reino do amor, semear a paz nos corações, para que se afirme também nas relações, nas sociedades, nas instituições”. 

O Espírito do Ressuscitado liberta do medo o coração dos apóstolos, levando-os a sair do cenáculo para transmitir o Evangelho aos outros, o Papa Francisco encorajou os cristãos presentes a não terem medo de o serem… Daqui um encorajamento que estendeu a todos:

“Convido todos a levarem a Boa Notícia a todos os ambientes de vida, com doçura e respeito. Ide pelas praças e anunciai Jesus Cristo, o nosso Salvador!”

Textos para rezar a cada dia:

Segunda-feira     1Cor 1,26-31   Iniciativa  de Deus (LO)
Terça-feira         2Cor 4,15-18    Nosso ser interior se renova cada dia (LO)
Quarta-feira       1Cor 12,4-11    O único e mesmo Espírito age em nós (LO)
Quinta-feira       Rm 8, 14-17     O Espírito atesta que  somos de Deus (LO)
Sexta-feira        1Cor 2, 1-16      Nós temos o pensamento de Cristo (LO)
Sábado             Gl 4, 1-6            Não mais escravos, mas  filhos (LO)

Para rezar ou cantar cada dia
Eu sei, eu sei, eu sei em quem acreditei.  (2Tm 1,12)
 CD  Palavras Sagradas de Paulo Apóstolo,  Faixa  13, COMEP

“Cristo em vós”
O prodígio operado em  São Paulo e a mística paulina

São Paulo foi “instrumento escolhido” (Cf At 9,15) e “Mestre dos pagãos (Cf 1Tm 2,7) sobre qual o Espírito Santo derramou todos os dons: uma fé inabalável, uma esperança solidíssima, uma caridade ardentíssima, uma ciência altíssima. (Cf DF 98).

Nasce o Apóstolo Paulo no momento de sua conversão. Converte-se abandonando um sistema de valores em que acreditava para aderir a uma Pessoa: Jesus Cristo. Neste sentido, conversão é “deixar tudo” e  colocar-se à disposição do verdadeiro Deus. “Por causa de Cristo, perdi tudo e considero tudo um lixo, a fim de ganhar Cristo” (Flp 3,8).

A vida de Paulo pode ser conhecida através da Lectio Divina dos Atos dos apóstolos e Cartas paulinas, em quatro etapas:
 l. Do nascimento aos 28 anos: o judeu praticante.
2. Dos  28 aos 41 anos: o convertido fervoroso.
3. Dos  41 aos 53 anos: o  missionário itinerante.
4. Dos 53 até a  morte, aos 62 anos: o prisioneiro (4 anos) e organizador de comunidades ( mais 5 anos).
24a SEMANA:
Paulo  - o judeu  praticante, nascimento até os 28 anos. Nascido em  Tarso da Cilícia, no ano 10 da nossa era, da tribo de Benjamim.

Segunda-feira             At 22,1-10; Rm 11,1; Fl 3,5  Judeu
Terça-feira                  At 16,16-40; 22,25-28;23,27 Cidadão  romano
Quarta-feira                At 26,1-23; Gl 1,14         Formação
Quinta-feira                At 13,1-41      A serviço da Palavra
Sexta-feira                  1Cor 3,5-17    Linguagem: planta, edificio  At 18,1-3 - Linguagem da cidade   
Sábado                       At 9,4; At 13,9 Nome grego: Paulo e  judaico: Saulo              

Para rezar ou cantar cada dia
Tudo posso naquele que me dá força.  (Fl 4,15)
 CD  Palavras Sagradas de Paulo Apóstolo,  Faixa  12, COMEP.




Paulo - dos 28 aos 41 anos, o convertido fervoroso

Paulo era um judeu praticante, irrepreensível na mais estrita observância da Lei, “cheio de zelo pelas tradições paternas”.
Esse ideal animou Paulo durante os primeiros 28 anos de sua vida, mas chegou o momento de descobrir que observar a Lei não era suficiente para levá-lo a Deus.
Ats dos apóstolos, nos capítulos 6,7,8 e 9 narra a conversão de Paulo. Ele presencia e aprova a morte de Estevão pelos judeus que perseguiam os cristãos.
Em seguida, Paulo persegue os cristãos, quando, no caminho de Damasco, é iluminado por uma luz resplandecente. Caiu e uma voz lhe diz:
- Saulo, Saulo. Por que me persegues?
- Quem és, Senhor?
- Eu sou Jesus a quem persegues.
- Senhor, que queres que eu faça?
- Levanta-te, entra na cidade. Aí será dito o que deves fazer.
Paulo se levantou, abriu os olhos mas nada enxergou. Estava cego!
Encontrou-se com Ananias na cidade de Damasco. Ananias lhe impõe as mãos e ele recupera a visão.
Ananias o batiza e Paulo começa a pregar a Palavra de Deus.

A conversão de Paulo para Cristo significou uma mudança profunda na sua vida, mas não foi uma troca de Deus, Paulo continuou fiel a Deus e a seu povo. Tornou-se cristão pela vontade de ser fiel às esperanças de seu povo aceitando Jesus como o Messias.
Cabe a nós cristãos, refletir qual o testemunho que estamos dando ao próximo!
Será que ao olharem para nós, quem está ao nosso lado deseja ser melhor? Ser cristão, disípulo missonário de Jesus Cristo?

Segunda-feira             At 9,1-20; 26,9-12            A conversão   
Terça-feira                 At 22,6-11; Jr 20,7            A queda
Quarta-feira               At 22,11-15; Ez 1,27-28    Cego
Quinta-feira                Fl 3,7-14                            Conquistado
Sexta-feira                 1Cor 13,1-13; Gl 2,20        Passos da  maturação           
Sábado                      At 20,17-27                       Amadurecimento

26a SEMANA: Dos  41 aos 53 anos, o missionário
Pedido: Peço a graça de aprender de são Paulo o método de evangelização, 
(formação de comunidades), 
sob a ação do Espírito Santo,
o uso da Sagrada Escritura, 
a pregação, 
a espiritualidade dos conflitos, 
os discursos.

Segunda-feira             Rm 15,17-20             Paulo anunciador
Terça-feira                  At 13 e 14                 Primeira viagem  missionária
Quarta-feira                At15,36-18,22           Segunda viagem 
Quinta-feira                At 17,22-33               Paulo no areópago em Atenas
Sexta-feira                  At 18,22-21,17          Terceira viagem
Sábado                       At 21,17 - 28,16         Quarta viagem

Para rezar ou cantar cada dia
Não nos cansemos de fazer o bem. (Gl 6,9)
CD  Palavras Sagradas de Paulo Apóstolo Faixa 5, COMEP.



27a SEMANA: Dos 53 até a morte, aos 62 anos
São Paulo foi prisioneiro (4 anos) e organizador de comunidades (mais de cinco anos): 
Tessalônica,
 Galácia, 
Éfeso, 
Filipos,
 Corinto, 
Colossas, 
Roma.
Pedido: A graça de aprender a organização pastoral paulina

Segunda-feira              1Ts, 1-10 - Tessalônica   
                                   Nascimento, crescimento, identidade, vida
Terça-feira                  2Ts 1,6-12; 3,6-16  organização, problemas,                                        projetos
Quarta-feira                Gl 4,12-20;5,1-6– Galácia    Nascimento,                                            crescimento, identidade, vida
Quinta-feira                 Gl 3,1-5; 6,1-26 –organização, problemas,                                          projetos
Sexta-feira                  Fl 1,1-11; 2,1-18; 4,15-20 - Filipos
                                  Nascimento, crescimento, identidade, vida
Sábado                        Fl 3,1-21;1,27-30;1,12-19;1,20-26 –                                                    organização, problemas, projetos

Para rezar ou cantar cada dia
Não nos cansemos de fazer o bem. (Gal 6,9)
CD  Palavras Sagradas de Paulo Apóstolo Faixa 5, COMEP.





As sete comunidades do tempo de Paulo (cont.): Éfeso, Filipos, Corinto, Colossas.









Pedido: Peço a graça de crescer na comunhão com o Corpo de Cristo.


Na carta aos Coríntios, ele descreve como chegou por lá, após o fracasso em Atenas: ``Irmãos, eu mesmo, quando fui ao encontro de vocês, não me apresentei com o prestígio da oratória ou da sabedoria, para anunciar-lhes o mistério de Deus. Entre vocês, eu não quis saber outra coisa a não ser Jesus Cristo, e Jesus Crucificado. Estive no meio de vocês cheio de fraqueza, receio e tremor; minha palavra e minha pregação não tinham brilho nem artifícios para seduzir os ouvintes, mas a demonstração residia no poder do Espírito, para que vocês acreditassem, não por causa da sabedoria dos homens, mas por causa do poder de Deus'' (1Cor 2,1-5). Parece um outro Paulo, diferente do Paulo que discursava no areópago com oratória e lógica. Aprendeu a lição! Ficou mais humilde. Soube dar a Deus o lugar que Ele merece, sem que isto o levasse a uma passividade. Sendo judeu, teve que aprender da prática como lidar com o pessoal da cultura helenista e com o próprio Deus. Aprendeu apanhando e sofrendo!











Grande Teatro de Atenas


Leitura Orante dos textos que seguem
Segunda  - 1Cor 2,1-5;4,14-21;12,4-13;11,17-31 - Corinto - nascimento, crescimento, identidade, vida
Terça - 1Cor 6,1-11;1,10-31;15,20-28 - organização, problemas, projetos
Quarta - At 19,1-20; Ef 2,1-22; 6,10-20 – Éfeso - nascimento, crescimento, identidade, vida
Quinta - 1Tm 1,1-7;2Cor 15,32; Ef 2,1-10 - organização, problemas, projetos
Sexta - Cl 1,1-8; 2,1-5; 2,6-15;3,12-17 – Colossas - nascimento, crescimento, identidade, vida
Sábado - Cl 4,7-18; 2,4-10; 3,1-11- organização, problemas, projetos.



Pedido: Peço a graça de permanecer e crescer em Jesus Cristo até o «Cristo vive em mim» (Gl 2,20).

Segunda     Ef 4,20-24 Revestir o homem novo
Terça         Cl 3,9-15 Sentimentos para revestir
Quarta      1Cor 15,10 Pela graça somos o que somos
Quinta       Rm 8,14-39 Princípio: Deus
Sexta        1Cor 3,9-11 Fundamento: Jesus Cristo
Sábado     Gl 2,20 Cristo vive em mim


30ª  Semana - Via Unitiva - cor paulina
Tempo para avaliação.
Terminamos aqui o Roteiro Cristo em Vós. Importante fazer uma avaliação do caminho feito e ação de graças a Deus pelos resultados.